20 maio 2018

Comportamento | Procrastinação ou falta de inspiração?

Por: Carina Diniz

Por que fazer agora?

Amanhã vejo isso sem falta.

Depois eu faço isso..

teste3

Eis que o tempo passa e é preciso acelerar para ganhar o tempo perdido. A procrastinação gera a sensação de insatisfação por não concluir algo. Essa angústia gera promessas e pensamentos como “Não vou mais deixar para a última hora”, mas quando menos se espera a história se repete.

Parece familiar? Conhece alguém assim? Ah! Isso também acontece com você?  Você não é o único (a). O ato de deixar para depois, procrastinação é muito comum e pode acometer a todos nós, em maior ou menor grau, claro, mas independentemente sempre traz prejuízos. A cada minuto, dia, hora que você deixa passar é um tempo que está sendo desperdiçado, ou seja, menos tempo para conclusão, o que impactará na qualidade e/ou na perda do prazo refletindo a produtividade. À medida que isso vai acontecendo, as tarefas vão se acumulando e tudo isso pode gerar estresse, preocupações em excesso, além da sensação de estar sempre apagando incêndio. O bom disso tudo é que é possível mudar esse padrão de comportamento, e melhor ainda é saber que essa mudança depende exclusivamente de nós.

Você já deve ter se perguntado o que difere em uma pessoa que protela de uma que não protela? Na verdade o que difere é a atitude que uma tem frente às suas responsabilidades.

São vários os fatores que podem influenciar a “arte” de protelar, como por exemplo: acúmulo de tarefas, não saber por onde começar, falta de comprometimento, falta de interesse, falta de foco, falta de planejamento, preguiça, desamino, falta de
motivação entre outros.  Em resumo a diferença reside no que é feito com tudo isso que aparece pelo caminho.

Por que quando se trata de algo que nos faz brilhar os olhos, nos desdobramos para conseguir? Administramos o tempo, nos preparamos, inclusive nos antecipamos se estiver ao nosso alcance. Seria ótimo se todas nossas tarefas estivem ligadas ao prazer, mas infelizmente não é assim que funciona. E o que fazer quando não temos inspiração para iniciar ou concluir uma tarefa? Um bom planejamento pode ser o principal aliado no combate à procrastinação.

É importante tomar consciência de nosso funcionamento e a partir de então, estabelecer nosso próprio planejamento para combater os sabotadores.  Mas, e quando não se tem noção de como nos livrar desse comportamento? Algumas medidas nos ajudam na hora de manter o foco, tais como:

  • Procure entender como essas tarefas levam a atingir seus objetivos;
  • Se a tarefa for complexa divida-a em pequenas tarefas, separe as mesmas numa ordem lógica, se as tarefas forem independentes entre si, separe-as das mais fáceis paras as mais difíceis;
  • Defina prazos, data para iniciar e data para concluir é fundamental. Tarefas com prazos são procrastinadas, quando não se há um prazo a possibilidade de adiar ou até mesmo deixar de fazer só aumenta;
  • Comemore cada etapa concluída.

Em resumo Entenda o porquê – Divida em etapas – Defina os prazos – Comemore as conclusões.

O planejamento pode ser feito para uma tarefa isolada ou para várias tarefas, para a vida pessoal e/ou profissional. Crie o hábito de planejar suas tarefas, seu dia de acordo com o grau de importância, pouco a pouco elimine a procrastinação e ganhe
mais tempo para aproveitar a vida.

Compartilho o TED de Tim Urban “Por dentro da mente de um mestre da procrastinação” no vídeo ele aborda de uma forma humorada e lúdica o tema procrastinação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *