21 maio 2018

Gestão com Pessoas | Sobre fazer a coisa certa!

Por: Carina Diniz

brunch (25)Em tempos de recessão, recuar se faz necessário por uma questão de sobrevivência. Se não há entradas, não tem outra saída, é preciso reduzir custos.

Em empresas de pequeno e médio porte, algumas medidas de conscientização e readequações junto as equipes poderão ser suficientes para preservar o quadro. Contudo há momentos em que não há outra saída, o quadro funcional  sofrerá o impacto. Ainda que a redução do quadro funcional de uma empresa seja a opção a ser tomada. Se faz necessário analisar alguns pontos antes de reduzir um quadro, tais como:

  • Conhecimento técnico;
  • Nível de Comprometimento “Quanto essas pessoas vestem a camisa “na alegria e na tristeza”?”;
  • As pessoas são táticas ou operacionais?
  • Na função designada essas pessoas são estratégicas?
  • A capacidade de influência que a mesma tem com seus pares; líderes; fornecedores; clientes?
  • Nível de comprometimento?

Embora a redução do custo seja a causa, não pode ser o único elemento variável na hora de desligar.  É importante avaliar onde e como mexer para que num futuro próximo a empresa não sofra com um efeito rebote. O RH juntamente com o estratégico poderá ser determinante para decisões assertivas.

Toda organização, independente do ramo, tem sua origem nas pessoas, o trabalho é  realizado por pessoas e o resultado será destinado à pessoas. Os avanços tecnológicos, os instrumentos, os sistemas e maquinários, são apenas “ferramentas” à serviço do homem, pois é ele que pensa, que sente, que planeja, que agrega valor, fazendo a diferença.

“UMA EMPRESA SEM ESTRATÉGIA FAZ QUALQUER NEGÓCIO”  Michael Porter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *